Mundo
|  N° Edição:  2172 |  23.Jun.11 - 21:00 |  Atualizado em 27.Nov.14 - 02:21

O nazismo em fotos inéditas

Descoberto nos EUA um álbum com 214 imagens de forte impacto retratando Hitler, soldados alemães e prisioneiros russos. Pelas fotografias, chegou-se ao seu autor: Franz Krieger

Laura Daudén Com informações do "The New York Times"

chamada.jpg
DESPEDIDA
Hitler faz a saudação nazista ao embarcar em um
trem. Abaixo, o cansaço dos soldados alemães

img.jpg

Um precioso documento histórico sobre o nazismo e suas vítimas acaba de vir à luz. Trata-se de um álbum de fotografias de 24 páginas com 214 imagens retratando lances do front oriental e da campanha alemã na ex-URSS, em 1941. A coleção de imagens de forte impacto mostra prisioneiros, soldados, autoridades (entre elas, o próprio ditador Adolf Hitler, em nove registros) e também aprazíveis paisagens da Baviera. Esse lote de fotos não apareceu em nenhum leilão mas foi oferecido por um cidadão americano ao jornal “The New York Times”, que o tornou público na terça-feira 21. Após o choque visual, uma pergunta intrigou a todos: quem seria o misterioso fotógrafo, ao mesmo tempo tão próximo do führer e da tragédia dos perseguidos pelo nazismo?

img1.jpg
PRISIONEIROS
Mãe com filho nos braços e um grupo de crianças na Bielo-Rússia
(acima) e um condenado em Minsk: à espera do pior (abaixo)

img3.jpg

Apenas uma foto tem legenda, mas nada que identificasse o seu autor, presente em alguns flagrantes. O dono do material, um senhor de 72 anos, também não tinha pistas. O mistério, contudo, durou exatamente 3 horas e 45 minutos: nesse período, a historiadora alemã Harriet Scharnberg, que viu as imagens no site da revista “Der Spiegel”, deu a resposta que faltava para que o caso – antes um curioso emaranhado de fatos isolados – virasse, enfim, uma história. “As fotografias, pelo menos muitas delas, foram feitas por Franz Krieger (1914-1993)”, disse ao jornal, por e-mail. Segundo Harriet, Krieger trabalhou como fotojornalista em Salzburgo, na Áustria, e no verão de 1941 foi para Minsk como membro da Propagandakompanie, a unidade de propaganda do Exército nazista. Na campanha da URSS, ele aparece ao lado de sua mulher, Frieda. Aí registrou não apenas a fadiga dos soldados alemães, mas as péssimas condições enfrentadas pelos prisioneiros soviéticos.

img2.jpg
AGASALHO
Um homem russo se protege do frio com
andrajos no campo de prisioneiros de Minsk


O senhor americano dono do acervo o mostrou ao “The New York Times” na esperança de que a repercussão valorizasse o material e o permitisse pagar tratamento médico e dívidas. Ele diz que recebeu o álbum junto com 50 mil figurinhas de beisebol de um operário que, como ele, também passava por problemas financeiros. O vendedor teria ganho as fotos de um velho alemão para o qual trabalhava cortando a grama.  

img4.jpg
MARCA
Condenados no gueto de Minsk. Alguns judeus exibem
a estrela usada pelos nazistas para serem identificados

g.jpg

 

 

 

 

 

 

Sabrina

EM 27/05/2013 16:13:53

Quero fotos da cultura e educação nazista!


fernanda

EM 17/04/2013 15:21:03

que fotos horiveis + deveria ter + para populaçao dar valor por tudo o que aconteceu as pessoas sao muito egoistas


Rommel

EM 11/07/2012 10:36:24

que saudade dessa época. era 8 ou SS


Rômulo Henrique

EM 28/06/2011 10:20:53

Uma reportagem excelente, pois demonstra o valor histórico que essas fotos tem, que infelizmente registraram um dos momentos mais desumanos de nossa sociedade humana. Como historiador, vejo com bons olhos essa matéria, pois possibilita lançar um novo olhar sobre a II Guerra a partir dessas fotos.


Marcos Vinicius

EM 27/06/2011 17:28:53

Isso sim é um assunto digno da ISTO É, e não a reportagem inútil rasgando seda para aquele moleque mal-educado do NEYMAR!





publicidade