Mundo
|  N° Edição:  2172 |  23.Jun.11 - 21:00 |  Atualizado em 29.Mai.15 - 23:12

O nazismo em fotos inéditas

Descoberto nos EUA um álbum com 214 imagens de forte impacto retratando Hitler, soldados alemães e prisioneiros russos. Pelas fotografias, chegou-se ao seu autor: Franz Krieger

Laura Daudén Com informações do "The New York Times"

chamada.jpg
DESPEDIDA
Hitler faz a saudação nazista ao embarcar em um
trem. Abaixo, o cansaço dos soldados alemães

img.jpg

Um precioso documento histórico sobre o nazismo e suas vítimas acaba de vir à luz. Trata-se de um álbum de fotografias de 24 páginas com 214 imagens retratando lances do front oriental e da campanha alemã na ex-URSS, em 1941. A coleção de imagens de forte impacto mostra prisioneiros, soldados, autoridades (entre elas, o próprio ditador Adolf Hitler, em nove registros) e também aprazíveis paisagens da Baviera. Esse lote de fotos não apareceu em nenhum leilão mas foi oferecido por um cidadão americano ao jornal “The New York Times”, que o tornou público na terça-feira 21. Após o choque visual, uma pergunta intrigou a todos: quem seria o misterioso fotógrafo, ao mesmo tempo tão próximo do führer e da tragédia dos perseguidos pelo nazismo?

img1.jpg
PRISIONEIROS
Mãe com filho nos braços e um grupo de crianças na Bielo-Rússia
(acima) e um condenado em Minsk: à espera do pior (abaixo)

img3.jpg

Apenas uma foto tem legenda, mas nada que identificasse o seu autor, presente em alguns flagrantes. O dono do material, um senhor de 72 anos, também não tinha pistas. O mistério, contudo, durou exatamente 3 horas e 45 minutos: nesse período, a historiadora alemã Harriet Scharnberg, que viu as imagens no site da revista “Der Spiegel”, deu a resposta que faltava para que o caso – antes um curioso emaranhado de fatos isolados – virasse, enfim, uma história. “As fotografias, pelo menos muitas delas, foram feitas por Franz Krieger (1914-1993)”, disse ao jornal, por e-mail. Segundo Harriet, Krieger trabalhou como fotojornalista em Salzburgo, na Áustria, e no verão de 1941 foi para Minsk como membro da Propagandakompanie, a unidade de propaganda do Exército nazista. Na campanha da URSS, ele aparece ao lado de sua mulher, Frieda. Aí registrou não apenas a fadiga dos soldados alemães, mas as péssimas condições enfrentadas pelos prisioneiros soviéticos.

img2.jpg
AGASALHO
Um homem russo se protege do frio com
andrajos no campo de prisioneiros de Minsk


O senhor americano dono do acervo o mostrou ao “The New York Times” na esperança de que a repercussão valorizasse o material e o permitisse pagar tratamento médico e dívidas. Ele diz que recebeu o álbum junto com 50 mil figurinhas de beisebol de um operário que, como ele, também passava por problemas financeiros. O vendedor teria ganho as fotos de um velho alemão para o qual trabalhava cortando a grama.  

img4.jpg
MARCA
Condenados no gueto de Minsk. Alguns judeus exibem
a estrela usada pelos nazistas para serem identificados

g.jpg

 

 

 

 

 

 




publicidade