Capa
|  N° Edição:  1824 |  22.Set.04 - 10:00 |  Atualizado em 27.Ago.14 - 21:55

Exportação da fé

Mais de 80 igrejas evangélicas brasileiras estão no Exterior e pastores usam satélites para evangelizar americanos, japoneses, europeus e africanos

Gilberto Nascimento Colaborou: Felipe Gil

Assim como exporta jogadores de futebol, o Brasil tem espalhado igrejas e pastores evangélicos para todo o planeta. E eles têm se revelado verdadeiros craques da fé no Exterior, com forte presença nos Estados Unidos, no Canadá, no Japão, na Europa e na África. Como acontece com os atletas, não existe um dado oficial que aponte para o número exato de pastores pentecostais brasileiros pregando em terras estrangeiras. É certo, porém, que três igrejas evangélicas do ramo pentecostal (aquelas que crêem nos dons do Espírito Santo, como a cura e o poder de falar línguas estranhas) travam no momento uma batalha para abocanhar o título de maior multinacional brasileira da fé: a Universal do Reino de Deus, liderada pelo bispo Edir Macedo; a Internacional da Graça, do missionário Romildo Ribeiro Soares, o RR Soares; e a Deus é Amor, do missionário David Miranda. Além das três, ISTOÉ identificou outras 78 igrejas e 171 templos evangélicos verde-amarelos instalados nos EUA, no Canadá, na Europa e na África.

Sem muita publicidade, a Deus é Amor, fundada em 1962, já se instalou em 136 países. A Universal está em mais de 80. A igreja de RR Soares fincou raízes nos Estados Unidos, em Portugal, na Inglaterra e no Japão e, agora, prepara-se para inaugurar templos na Holanda, na França e em Angola. Nenhuma delas revela dados oficiais, como número de sedes, de pastores ou de fiéis. E, muito menos, o valor arrecadado lá fora. Não devem, no entanto, ser números desprezíveis, pois, para que a fé supere fronteiras, o investimento não é pouco. Além de se instalar fisicamente, esses líderes religiosos alugam espaços em satélites para transmitir suas pregações nos Estados Unidos, no Canadá, no Japão, na Europa, na África e no Oriente Médio. A Universal foi a primeira, por meio da Rede Record Internacional. Paga cerca de US$ 100 mil mensais pelo espaço em dois satélites da Intelsat, com os quais atinge toda a América e a África, há cinco anos, e o Japão há dois. Na África, obteve a concessão de uma geradora, a TV Moçambique, em UHF. A Internacional da Graça segue o mesmo rito e também está alugando o uso de um satélite. A Renascer em Cristo, do pastor Estevam Hernandez, já tem espaço no satélite 806 da Intelsat. A Deus é Amor segue outro manual e até proíbe seus fiéis de assistirem à televisão. Mas, na sua gigantesca sede mundial no Parque Dom Pedro II, na região central de São Paulo – que tem capacidade para seis mil pessoas –, há cinco mapas desenhados na parede listando os países das Américas, da Europa, Ásia, África e Oceania que, segundo a igreja, recebem a mensagem religiosa do programa de rádio A voz da libertação.

Exemplo americano – A quantidade de templos no Exterior permite tratar o  Brasil como campeão da evangelização, título que já pertenceu aos americanos, que nas décadas de 50, 60 e 70 exportaram missionários evangélicos para todo o planeta. “Isso acontece por causa do chamado avivamento, ocorrido no Brasil. A busca pelas igrejas tem um grande crescimento. E não crescemos apenas para dentro, mas para fora também”, explica o pastor Ronaldo Didini. Ex-Universal e ex-Igreja da Graça, agora Didini está empenhado em montar sua própria igreja. Domingo 12, no Hotel Quality, em Lisboa, ele organizou o primeiro culto da Igreja do Caminho, recém-criada. O pastor, que se tornou nacionalmente conhecido ao apresentar o programa 25ª Hora, da Rede Record, é um especialista na abertura de templos e de rádios e tevês no Exterior. Fez isso para Edir Macedo, na Universal, e para a RR Soares, até meados deste ano. Abriu, assim, uma trilha que soma cada vez mais seguidores. Entre eles está a Sara Nossa Terra, criada em Brasília em 1992, que atraiu famosos como Baby Consuelo, o jogador Marcelinho Carioca e o vocalista Rodolfo (ex-Raimundos). Essa igreja mantém templos nos Estados Unidos – nas cidades de Atlanta, Harrison, San Diego e São Francisco – e na Bélgica, Holanda, Inglaterra e Portugal.

Adeptos da Assembléia de Deus criaram novos ministérios (subdivisões) e, na prática, assumiram igrejas independentes em países como Portugal e Estados Unidos. A Assembléia de Deus Ministério Semeadores de Boas Novas, por exemplo, está em Portugal, na Inglaterra e nos Estados Unidos e monta sedes na Suíça, Holanda e Liechtenstein. Existem ministérios como o Cristo Vive, nos Estados Unidos e na Espanha; World Revival (EUA); Missões, em Portugal; e a Assembléia de Deus Anglo-Brasileira (Inglaterra). Uma outra tem um nome sui generis: Assembléia de Deus de Londres em Lisboa, dirigida por um brasileiro, o pastor Wesley Alves.

Evangelização em família – Na World Revival, em Fort Pierce (Flórida), o responsável é o pastor Marcio Pereira, mineiro de Ipatinga, 38 anos, radicado no Estado americano há seis e pastor da igreja há três. A sede principal da World Revival fica em Pompano Beach. Pereira realiza dois cultos por semana, às terças e aos domingos, quando a igreja chega a receber 100 fiéis. A cidade tem 37 mil habitantes, 15% deles latinos ou hispânicos. Quando começaram as primeiras pregações, ainda na casa do pastor, apenas sua esposa e os dois filhos acompanhavam as orações. “Não tinha mais do que 20 ou 30 brasileiros na região. Mas, como há muito trabalho na construção civil, a região cresceu. E os brasileiros vieram para cá assentar azulejos ou pintar paredes”, conta o pastor. “Sempre recebo ligações de brasileiros de outras regiões que procuram emprego. Assim, espero que a igreja cresça também.” A World Revival funciona num prédio alugado e Pereira tem pedido ajuda aos fiéis para comprar o imóvel. Antes de montar sua igreja, o pastor trabalhou com outro colega, Francisco Pires. “Fui trabalhando e subindo”, comemora.

Outras igrejas como a Pentecostal Betania, de Fort Lauderdale, também na Flórida, vão se disseminando por outros países. O pastor que a dirige, Eronildes da Silva, empenha-se na formação de obreiros (auxiliares) em regiões da África  e da Ásia onde se fala o português. Eronildes é um engenheiro mecânico pernambucano, que fala espanhol, inglês e alemão e já foi pastor em três Estados americanos – Connecticut, Massachusetts e Virginia – e nas cidades canadenses de Montreal e Quebec. Seu filho, o missionário Júlio da Silva, é líder da Assembléia de Deus em Pretória, na África do Sul. A filha, Vania da Silva, é coordenadora para língua portuguesa das Assembléias de Deus americanas.  É uma família que evangeliza unida.

Diogo Soares

EM 09/03/2013 22:06:50

Que o Evangelho de Jesus continue sendo pregado mais e mais, até a volta dele!


Diogo Soares

EM 09/03/2013 22:05:23

Glória ao Deus Verdadeiro


MARCOS MUNIZ DOS SANTOS

EM 09/05/2011 21:54:36

A PAZ DO SENHOR PARA TODOS OS IRMÃOS EM CRISTO JESUS E PARABENIZA-LOS PELA EVANGELIZAÇÃO ELETRÔNICA.DEUS VOS RECOMPENSARÁ.QUERO DEIXA O MEU ENDEREÇO COMEMORANDO OS 100 ANOS DAS ASSEMBLÉIA DE DEUS NO BRASIL http://marcoscomunicando.blogspot.com/


chagas

EM 01/04/2011 02:12:25

eu acredito que iso e um orgulho para o brasil,saber que nao so exportamos os melhores jogadores de futebol,como agora os melhores misionarios,pastores que estao levando a palabras do senhor para o mundo todo. o brasil e de Deus e todo as nocoes tambem deve ser.Aleluia por isso.


Valter

EM 11/01/2011 23:51:13

Isso é bom, pois procuram levar as pessoas a um verdadeiro compromisso com Deus. Pois Deus não recebe adoração da maneira que bem entendemos, mas precisamos buscar qual é sua verdadeira vontade para nós.





publicidade