Leonardo Attuch

O fator Cunha e  o dilema do PT

O que é menos pior: ter Eduardo Cunha  como um aliado na Câmara ou como o chefe da oposição?

O deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) é hoje a bola da vez em Brasília. Tema de conversa de praticamente todas as rodas políticas, ele é o candidato favorito para vencer a disputa pela presidência da Câmara dos Deputados, no início de 2015. Estudioso, disciplinado, mas também heterodoxo em seus métodos, Cunha desperta mais medo do que propriamente admiração ou simpatia no Poder Executivo. Entre seus pares, no Legislativo, o parlamentar fluminense construiu uma liderança incontestável. Nas eleições de 2014, arrecadou recursos não apenas para sua campanha, mas também ajudou a eleger alguns de seus colegas. Há quem diga que quase uma centena.

Cunha também representa a insatisfação de grande parte do PMDB, que jamais se viu propriamente representada no primeiro governo Dilma, a despeito de todos os espaços cedidos ao partido em áreas importantes da administração pública. Disposto a ir para o tudo ou nada, Cunha colocou sua candidatura na praça primeiro com um discurso bélico, de confronto com o Palácio do Planalto, e depois fez sinalizações mais amistosas, afirmando que o vice Michel Temer não deve temer sua postulação. “Não há razão para o Michel não me apoiar. O que ele não quer é a candidatura de um candidato de oposição. E a minha não é”, afirmou. “Não vamos construir uma candidatura de oposição e nem de submissão ao Executivo.”

Nesse diapasão, Cunha sinalizou a disposição para construir um diálogo e um eventual acordo com o Poder Executivo. É daí que vem o grande dilema do governo Dilma. Qual é o preço desse eventual acordo? Não só perante a opinião pública, mas também monetário. Afinal, quais serão as contrapartidas exigidas por Cunha para a construção de uma relação harmoniosa com o Executivo?

Diante do dilema, parlamentares mais experientes do PT têm recordado a eleição do Legislativo em 2005, quando a divisão da base aliada permitiu a desastrosa ascensão de Severino Cavalcanti. Alguns, mais pragmáticos, colocam uma questão objetiva. O que é menos pior: ter Eduardo Cunha como um presidente aliado na Câmara ou como o chefe da oposição, ferido por uma eventual sabotagem palaciana?
É um tema para reflexão em Brasília, mas cuja resposta não virá agora. Até porque ninguém sabe ao certo quais parlamentares serão atingidos ou não pela Operação Lava Jato. E a esperança de parte do governo e do PT é que Cunha seja um deles, ficando, assim, inviabilizado na disputa da Câmara.  


publicidade

roberto

EM 22/11/2014 21:02:01

Nordestino que vota no pt, e conivente com a corrupcao do pt. Vamos retaliar.Vamos boicotar passeios no nordeste, boicotem produtos nordestinos, nao abram empresas no nordeste, nao deem trabalho/emprego para nordestino que votou no pt, despejem da favela com ordem judical nordestino que votou no pt


roberto

EM 22/11/2014 20:51:16

IMPEACHMENT NA DILMA JA. Na eleicao pt usou correios para distribuir panfletos do pt. Pt colocou 1 milhao de marajas petistas para fazer campanha. pt fez populismo, pt fez 1 milhao de promessas falsas. Pt acabou com o eduardo campos. Pt organizou saques/quebra quebra em PE para prejudicar PSB


roberto

EM 22/11/2014 20:38:11

IMPEACHMENT NA DILMA JA.Na eleicao assessor de parlamentar do pt telefona/manda email para funcionario publico votar na dilma. Se funcionario publico nao vota na dilma ele e despedido.Pt aparelhou todos orgaos publicos.Pt arrecadou 10 bilhoes com bancos/empreiteiras. Pt comprou pesquisas eleitorais


roberto

EM 22/11/2014 20:30:21

IMPEACHMENT NA DILMA JA. Na eleicao, pt faz vandalismo no trem/metro de SP. Pt censura istoe/veja/folha de SP/estado de SP/etc. Pt censura internet/midia. Pt censura divulgacao dos salarios milionarios dos marajas petistas. Pt contrata 1 milhao de mercenarios para defender o pt na internet


roberto

EM 22/11/2014 20:11:29

IMPEACHMENT NA DILMA JA. Na eleicao, pt faz 1 milhao de mentiras, faz denuncias falsas, baixaria, ofende, maquia numeros, esconde/censura, fazem greves politicas contra PSDB, contratam pcc/pgc para matar policiais e intimidar eleitor, contratam pcc/pgc para tacar fogo em onibus/carro/loja, saques