• FAMÍLIA
  •   |  Edição:  2349
  •   |  28.Nov.14 - 15:17
  •   |  Atualizado em 29.Nov.14 - 07:17
Justiça em nome dos filhos
por Antonio Carlos Prado e Elaine Ortiz

Na quarta-feira, 26, o Senado aprovou a lei que torna obrigatória e imediata a adoção da guarda compartilhada. A decisão deverá ser sancionada pela presidente Dilma Rousseff nos próximos dias e, assim, segundo especialistas e educadores, o Brasil conquista um mecanismo jurídico que o coloca no trilho do que há de mais moderno e eficiente para a boa saúde emocional de milhões de filhos de pais separados. O desafio agora é fazer com que a lei não se torne letra morta e que os juízes resistam às manipulações de uma criminosa “indústria do litígio” e garantam que a guarda compartilhada efetivamente assegure a convivência compartilhada das crianças e adolescentes com seus genitores. “Para uma criança nada substitui a convivência com o pai e com a mãe”, afirma Rosely Sayão, a maior especialista do Brasil em educação infantil.

Editorial
FORA DO FIGURINO

A reeleita presidente Dilma produziu mais uma genuína jabuticaba, aquela fruta silvestre que só dá no Brasil. Pelo inusitado, a nova trinca de ases da economia ? à exceção do diligente presidente do BC...


Últimas Entrevistas

Jorge Hage 28.Nov.2014
Deputado Antonio Imbassahy 21.Nov.2014



ISTOÉ Multimídia

Entenda o que está acontecendo com Pelé e o que os médicos estão fazendo para curá-lo.


COLUNAS E BLOGS