• Roupas
  •   |  ISTOÉ Online
  •   |  24.Jul.14 - 18:12
  •   |  Atualizado em 24.Jul.14 - 23:47
M.Officer pode ser banida por uso de trabalho escravo
Agência Brasil

A marca M.Officer pode ser banida do mercado brasileiro a pedido do Ministério Público do Trabalho em São Paulo (MPT/SP) em razão do uso de trabalho análogo à escravidão na cadeia produtiva da empresa M5 Indústria e Comércio, detentora da grife.

Uma ação civil pública, ajuizada no último dia 15, exige o pagamento de indenização de R$ 10 milhões e a aplicação da Lei Paulista de Combate à Escravidão. A lei, aprovada no ano passado, prevê a cassação do registro do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) e impede que proprietários exerçam atividades no mesmo ramo ou abram nova empresa no estado paulista por dez anos.
 

 

 

Editorial
POLÍTICA E ELEIÇÃO: NADA A VER

Definitivamente a grande dúvida que toma corações e mentes de analistas e políticos às vésperas de eleições está sanada: a Copa do Mundo não influencia votos por aqui ? nem a favor, nem contra ? e, portanto, é...


Últimas Entrevistas

Marcos Lisboa 18.Jul.2014
Daniel Passarella 11.Jul.2014



ISTOÉ Multimídia

Canteiros com verduras e legumes transformam terrenos vazios ou degradados em espaços que produzem alimentos para a comunidade. Conheça as hortas urbanas de São Paulo.

Ouça a música "É Corpo, É Alma, É Religião"

Ouça a música "Brand New"

Ouça a música "Blue Moon" do novo álbum


COLUNAS E BLOGS