• Unicef
  •   |  ISTOÉ Online
  •   |  30.Sep.14 - 11:08
  •   |  Atualizado em 30.Sep.14 - 14:36
Ebola já deixou pelo menos 3.700 crianças órfãs
Agência Brasil

Pelo menos 3,7 mil crianças da Guiné-Conacri, da Libéria e de Serra Leoa ficaram órfãs, tendo perdido pelo menos um dos seus pais, devido ao vírus ebola, indicam estimativas do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) divulgadas hoje (30). O Unicef alertou que, como a epidemia se intensificou nas últimas semanas, o número de órfãos por causa do vírus pode duplicar até meados de outubro.

“Sabemos que os números que temos são apenas a ponta do iceberg”, disse Manuel Fontaine, diretor regional do Unicef para a África Ocidental, em uma videoconferência a partir de Dacar, capital do Senegal. Um dos principais problemas enfrentados por esses menores é o repúdio por parte da família por receio de que possam transmitir a doença.

“Vemos que alguns familiares ou vizinhos lhes dão de comer, mas poucos querem acolhê-los”, disse Fontaine, salientando ser “raríssimo na África que a família não assuma o cuidado das crianças”, o que “mostra o medo que reina”.
 

Editorial
AMARROTARAM A ÉTICA

Poucas vezes se viu uma campanha eleitoral tão pobre de ideias e repleta de promessas populistas que mascaram intenções partidárias dos que estão no poder e ludibriam a confiança dos incautos. Com o Estado...


Últimas Entrevistas

Renato Aragão 26.Set.2014
Marco Antonio Zago 19.Set.2014



ISTOÉ Multimídia

Nesta semana, moradores do movimento Frente de Luta por Moradia foram retirados de um hotel invadido no centro de SP. ISTOÉ Online visitou a ocupação Prestes Maia, a maior do grupo, para saber como é a vida dos sem-teto.

Ouça a faixa "Retornado"

Ouça a música "É Corpo, É Alma, É Religião"

Ouça a música "Brand New"


COLUNAS E BLOGS