• Tragédia
  •   |  Edição:  2317
  •   |  17.Apr.14 - 11:30
  •   |  Atualizado em 18.Apr.14 - 02:19
Naufrágio relâmpago
por Antonio Carlos Prado e Elaine Ortiz

Um navio com cerca de 470 pessoas a bordo (325 delas estudantes secundaristas) naufragou na costa sudoeste da Coreia do Sul na quarta-feira 16 – no início da manhã a embarcação se chocou com recifes e, surpreendentemente, em menos de três horas, ficou praticamente toda submersa. Até a noite seis pessoas haviam morrido, 164 foram resgatadas e 300 permaneciam desaparecidas. As equipes de resgate trabalhavam com duas hipóteses diametralmente opostas. Na melhor delas supunha-se que esses passageiros pudessem ter sido auxiliados por barcos particulares; a possibilidade mais temida era a de que eles tivessem ficado presos no interior do navio e, consequentemente, morrido – isso faria dessa tragédia o mais grave acidente do país nas últimas duas décadas. A temperatura do mar registrava 13 graus, suportável na água pelo corpo humano somente por duas horas. “Sinto uma dor profunda. Quero que coloquem toda a energia na missão de resgate”, declarou a presidenta do país, Park Geun-hye.
 

Editorial
O ATAQUE AOS ÍCONES

Nos últimos tempos o Brasil exibiu desvios invulgares de rota em um ambiente de instituições que sempre prezaram pelo profissionalismo e pela eficiência. A série perversa de ataques contra patrimônios nacionais...


Últimas Entrevistas

Jonathan Rottenberg 17.Abr.2014
Felipe Massa 11.Abr.2014



ISTOÉ Multimídia

Um novo e revolucionário traje de mergulho vai ajudar os cientistas a estudar de maneira inédita as criaturas das profundezas marinhas. Confira como funciona o equipamento.

Ouça a música "Brand New"

Ouça a música "Blue Moon" do novo álbum

Discurso de Miguel Arraes em 31 de março de 1964


COLUNAS E BLOGS