A Semana > Entrevista
|  N° Edição:  1552 |  30.Jun.99 - 10:00 |  Atualizado em 30.Sep.14 - 15:39

Mestre De Rose

O sexo sem-fim

Mestre De Rose, estudioso de yôga há 40 anos, revela como adiar ao máximo o orgasmo pode ser uma fonte incomensurável de prazer e saúde

ANGELA KLINKE

Uma relação sexual de horas sem que nenhum dos parceiros atinja o orgasmo. Tortura? Para o mestre em yôga (assim mesmo com y e acento, por ser a linha pré-clássica) De Rose fazer isso melhora tudo na vida, dos cabelos ao desempenho profissional. "O corpo fica como uma caldeira, cheia de energia biológica, e vai distribuí-la para aquilo que ele precisar. Se a pessoa trabalhar, essa energia vai toda para a criatividade. Se estiver precisando de saúde, este superávit energético vai curar algum órgão." O sexo tântrico, inventado há cinco mil anos pela civilização drávida, que habitou a região onde hoje fica o Sul da Índia, é uma forma de adiar ao máximo o orgasmo para que o prazer se torne algo refinado e maximizado, como uma busca de autoconhecimento. Ejacular rápido envelhece e não aprimora os sentidos. Aos 55 anos, mestre De Rose pratica o yôga desde os 15. É presidente da Confederação Nacional e União Internacional de Yôga e também fundador da Universidade Internacional de Yôga em Portugal e da primeira Universidade de Yôga do Brasil, que, em parceria com algumas universidades católicas e federais, já concedeu diplomas de extensão a cerca de cinco mil instrutores. Recentemente criou um curso em etapas para ensinar o caminho para se atingir a "explosão nuclear", o prazer obtido pela via tântrica. "O que as pessoas chamam de orgasmo é apenas um espasmo nervoso. O que praticamos é um estado de paranormalidade erógeno." Escreveu também o livro Hiperorgasmo, lançado pela editora Martin Claret, que está em sua quarta edição. Mas desde já alerta que o sexo tântrico não é terapêutico nem atende àqueles que pretendem uma orgia. Se você já está ansioso para aprender, esqueça. O tantrismo exige tempo, paciência e uma dieta rigorosa: nada de "bicho morto".

Istoé -

Como o sr. definiria o hiperorgasmo?

Mestre De Rose -

 O que as pessoas chamam de orgasmo é apenas um espasmo nervoso. Aquilo é apenas um vislumbre do prazer. E o que acontece é que as espécies todas foram programadas para que, através de uma pequena recompensa prévia, que era esse "orgasminho", tivessem em troca todos os inconvenientes de uma gestação e da reprodução. Estamos falando de um processo que vai levar a pessoa a um nível acima da normalidade. Ela pode ter orgasmos quantas vezes quiser, só que vai procurar reter e protelar. Em vez de ter o orgasmo rápido, adia meia hora. Depois mais meia hora. E dali a oito horas de contato sexual ininterrupto, por exemplo, tem a opção: ter o orgasmo ou descansar. Naturalmente, com toda essa energia retida, o orgasmo que vai ocorrer vai ser uma explosão nuclear. Mas também se pode protelar para o dia seguinte. Esse é o processo. Então, chega um momento em que não aguenta, perde o controle e tem o orgasmo. A energia que ele vinha guardando já está no seu sistema.
 

Istoé -

Quem compara prefere o hiperorgasmo?

Mestre De Rose -

A pessoa vai comparar e só isso já é suficiente para convencer o praticante a reter, porque o prazer aumenta incomensuravelmente. A contenção orgástica não tem nenhuma contra-indicação e esses casais passam até a não brigar mais.
 

Istoé -

Essa retenção pode fazer mal?

Mestre De Rose -

 O sistema consiste no seguinte: atritar, atritar e quando chega perto de explodir, perto de romper a válvula, pára. Adia o desfecho. Então a caldeira, o corpo, fica cheia de energia. Ora, se essa energia biológica, está muito grande dentro do nosso corpo, o que vai acontecer? O corpo vai distribuir essa energia para aquilo que ele precisar. Se a pessoa fizer esporte, é evidente que essa energia vai toda para o esporte. Se ela trabalhar, essa energia vai para o trabalho, para a criatividade. Se estiver mal de saúde, é natural que ela direcione, automaticamente, este superávit energético para curar algum órgão.
 

Istoé -

Não dá para a mulher ou o homem dizer: hoje vamos fazer sexo tântrico?

Mestre De Rose -

 Num contato sexual normal apenas se recomenda muito mais sensibilidade, muito mais carinho, muito mais tempo. As pessoas lidam com a sexualidade como uma necessidade fisiológica. Mas é uma coisa muito mais importante. Da libido depende absolutamente tudo. Depende a criatividade, depende a agressividade, depende a saúde, depende a longevidade, depende a aparência física do indivíduo, uma série de percepções extra-sensoriais e depende daí, também, a chave para o autoconhecimento. Todas essas coisas estão baseadas numa só, que é o cerne da criação dentro do indivíduo. O poder criador dentro de nós, é a sexualidade é a libido.
 

Istoé -

É preciso um ritual ?

Mestre De Rose -

 Não é um ritual como uma coisa mística. Mas, por exemplo, espalhar pétalas de rosa no caminho que a parceira vai pisar, vai caminhar, é uma coisa bonita. Não que seja obrigatório, que tenha de fazer sempre, mas imagina uma vez na vida pétalas formando um tapete até o leito de amor. É uma coisa que só valoriza. Música suave, iluminação de velas, perfume na casa...
 

Istoé -

E os passos seguintes?

Mestre De Rose -

 O ambiente já sugere que ninguém vai saltar um em cima do outro e terminar rápido. Então, nesse momento, é natural que as pessoas façam a primeira etapa que é o olho no olho. Outro estágio é o falar e aí vai evoluindo. O objetivo não é chegar a uma penetração, o objetivo é chegar ao máximo do prazer, um estado que chamo de hiperestesia sensorial.
 

Istoé -

Existe um exercício para se conseguir adiar o orgasmo?

Mestre De Rose -

Tem uma porção deles. Um chamado mula bandha, em sânscrito, consiste numa contração forte e sucessiva dos esfíncteres do ânus e da uretra. A pessoa pode fazer esse exercício onde estiver, durante o dia. Quanto mais fizer, melhor. Para o homem e para a mulher. Aumenta a energia sexual, aumenta o domínio da musculatura (no caso da mulher, da musculatura vaginal) e no momento do contato sexual, essa contração ajuda a reter. Outra coisa que ajuda é reter a respiração. Existe um texto, numa escritura hindu, que diz assim: quando o prana pára, o sêmen pára. Prana é a energia vital que é comandada pela respiração. No momento em que você pára a respiração, pára tudo.

Istoé -

Qual é o tempo para se atingir o orgasmo numa relação comum?

Mestre De Rose -

 A média mundial é de 7,5 minutos. A brasileira é de 15 minutos.

Istoé -

Qual o tempo mínimo para o hiperorgasmo?

Mestre De Rose -

 Digamos assim que, entre as pessoas que praticam, se alguma amiga disser para a outra que o companheiro teve um contato de uma hora de duração, todas as outras lamentam.
 

Istoé -

Foi um desastre.

Mestre De Rose -

Foi um desastre, foi ejaculação precoce. Um aluno nosso disse que mantinha um contato sexual de seis horas. Uma pessoa virou para a esposa, ao lado dele, e perguntou se ele estava se exibindo, e ela respondeu que ele estava sendo modesto. O interessante deste processo é que, independentemente dos efeitos para saúde, para longevidade, e da meta que é alcançar o autoconhecimento, a maximização do prazer é uma coisa tão extraordinária, é indizível. É um estado de paranormalidade erógeno, é uma coisa completamente indescritível.
 

Istoé -

Tem alguma restrição de idade ou condição de saúde?

Mestre De Rose -

Com relação à idade e saúde, não. A restrição que nós fazemos, no caso de curso, é a cultural, pois se a pessoa não tem já uma bagagem, ela não vai acompanhar a linguagem.
 

Istoé -

O sr. acredita no sexo tântrico como uma prática popular?

Mestre De Rose -

 Eu acho que não. Se a gente tivesse a intenção de instalar o tantra como filosofia de vida da população toda, isto iria produzir um caos social. Temos aí os nossos quatro mil anos de repressão numa sociedade patriarcal, estamos condicionados a cumprir ordens. Essa é uma prática libertária para pequenos grupos, criada há cinco mil anos numa sociedade matriarcal.
 

Istoé -

Qual o perfil das pessoas que procuram o sexo tântrico?

Mestre De Rose -

 Existe o grupo que leu o livro ou assistiu a alguma palestra e consegue entender as implicações dessa prática. Esse é o nosso público, o consciente e responsável. Depois, tem o grupo que resolveu buscar uma terapia sexual, porque ele está com problemas de impotência ou frigidez, esse não é o nosso público. Porque o nosso trabalho não é terapêutico. E o terceiro grupo, que quer festa, orgia mesmo. Esse é completamente equivocado. Candidato assim até dispensamos.
 

Istoé -

Então, essa pessoa tem de ter claro o quê?

Mestre De Rose -

 É uma filosofia comportamental, porque vai traçar normas. Se adotá-la, vai mudar a vida completamente: vai mudar a forma do corpo, a saúde, a expectativa de vida, o rendimento na sexualidade. Vai até enriquecer. Porque ao mudar o rendimento no trabalho, ela vai produzir mais e vai ganhar mais.
 

Istoé -

Isso não parece auto-ajuda?

Mestre De Rose -

 Tem muito picareta no mercado que pode vender assim, não é o meu caso. Tenho mais de 40 anos de estudo. Isso é uma filosofia.
 

Istoé -

A pessoa que quer praticar o tantra tem de fazer dieta?

Mestre De Rose -

 Para que a pessoa entre num grupo prático, nós pedimos à pessoa que não tenha nenhum vício e que ela tenha um conceito de higiene superlativo. Não pode fumar, não pode tomar álcool, nem drogas. Nenhuma substância que altere o estado de consciência.
 

Istoé -

Você está falando de alimentação vegetariana?

Mestre De Rose -

 Todo mundo confunde o que é vegetarianismo. Estou falando de não comer bicho morto.
 

Istoé -

Mas, se a pessoa foi a um jantar à luz de velas, com champanhe, comeu seu bichinho morto. Ela não vai fazer sexo tântrico?

Mestre De Rose -

Vai fazer um sexo tântrico de menor qualidade. Vai render menos.
 

Istoé -

Como a comida interfere?

Mestre De Rose -

 Nós temos canais energéticos pelo corpo, que essas substâncias mais grosseiras obliteram. Nós ficamos com uma espécie de esclerose nesses canais. Se a energia flui, ela chega a um nível, nessa prática, que se você passar a mão de leve na pele do parceiro, se você expirar e o parceiro inspirar o seu alento, isso já pode produzir um orgasmo. Dá muita energia, é muito forte, fluindo por todos os poros. Você não está tendo um contato genital, você está tendo um contato integral. Agora, entope aqui, entope ali, porque fumou, porque bebeu, porque tomou droga ou porque comeu bicho morto, realmente o rendimento é muito comprometido.

Istoé -

Quais são os "benefícios" físicos?

Mestre De Rose -

Do senso comum é assim: quanto mais você estiver com hormônio circulando no seu sangue, mais você vai ter brilho no olhar, mais você vai ter reflexos rápidos, a musculatura em dia, menos você vai ter peso, gordura.
 

Istoé -

É possível sexo tântrico com duas pessoas do mesmo sexo?

Mestre De Rose -

 Nos Estados Unidos, na Califórnia, em San Francisco, sim.

Istoé -

Pelos princípios tântricos...

Mestre De Rose -

 No tantra não se menciona nada. De forma que a conclusão a que se chega é que não quiseram mencionar. Não existe nenhuma referência, a tradição não menciona nada a favor nem contra.
 

Istoé -

Camisinha atrapalha?

Mestre De Rose -

Não.

Istoé -

Pílula?

Mestre De Rose -

 Pílula atrapalha porque mexe com os hormônios. A vasectomia não atrapalha porque os hormônios continuam sendo produzidos. Circuncisão não atrapalha, é até bom.

Istoé -

As pessoas que normalmente procuram o curso são românticas?

Mestre De Rose -

 Em geral são pessoas excessivamente sensíveis. Digo excessivamente em comparação com o nosso mundo, elas seriam pessoas muito mais sensíveis do que o normal.
 

Istoé -

O que significa para o tantra a frase "O homem sem mulher é cadáver"?

Mestre De Rose -

 A frase é assim: "Shiva sem shakti é shava." Shava quer dizer cadáver, "shakti" quer dizer energia, mas pode significar esposa; Shiva é o nome de uma personagem, o criador do yôga. Parece que ele tinha muita energia sexual e tinha três mulheres, três shaktis. Mas mesmo ele, Shiva, sem shakti é shava, quer dizer, o homem sem a mulher é um cadáver. Mas como depois ele foi divinizado, também pode ser traduzida essa frase, como: "A divindade sem mulher não existe, está morta." Por que a força interior do homem era dada pelo sexo sacralizado através da mulher. A mulher era vista como deusa porque tinha o dom de gerar e por isso tinha uma posição privilegiada.
 

Istoé -

Sexo tântrico é uma opção para quem não quer ter filhos?

Mestre De Rose -

Como método anticoncepcional não funciona. É o contrário, até. As pessoas ficam extremamente mais férteis, porque, primeiro, aumentando a libido, os hormônios sexuais, a tendência é aumentar a fecundidade.
 

Istoé -

Por ter toda essa predisposição romântica isso faz com que se tenham parceiros monogâmicos?

Mestre De Rose -

Não, isso não altera. Eu tenho acompanhado muita gente – são 40 anos que eu lido com isso –, casais de todas as idades, de várias nacionalidades e não tem uma regra. Para uns, o tantra induziu a uma monogamia, o parceiro começou a lhe dar tal prazer que ele não precisava de mais ninguém. Para outros, ao contrário, eles eram monogâmicos e se tornaram poligâmicos porque disseram: "O exercício tântrico não tem nada a ver com fidelidade." É exercício, quer dizer, a pessoa pode ter um parceiro fixo e fazer o exercício independentemente com outra pessoa, como exercício.
 

Istoé -

Sem ciúme?

Mestre De Rose -

 O ciúme é uma grosseira falta de educação com o parceiro.
 




Últimas Entrevistas

Renato Aragão 26.Set.2014
Marco Antonio Zago 19.Set.2014

matt

EM 22/05/2014 03:29:39

rvGXBh http://www.QS3PE5ZGdxC9IoVKTAPT2DBYpPkMKqfz.com


horny

EM 08/04/2014 04:40:24

lNNcIC http://www.QS3PE5ZGdxC9IoVKTAPT2DBYpPkMKqfz.com


seo for cheap

EM 01/04/2014 12:33:05

VlpznG Thanks again for the post.Thanks Again. Cool.


nice seo guys

EM 22/03/2014 12:01:33

K0WlFK Looking forward to reading more. Great blog.Thanks Again. Will read on...


stunning seo guys

EM 30/01/2014 15:04:29

ySo8RR Great article post.Really looking forward to read more. Really Cool.